Fale Conosco:

Mande um email para este indereço: ibrcg@hotmail.com e deixe suas dicas para o nosso blog, estaremos sempre respondendo a todos, abraços amados irmãos!

Contador de Visitas

Número de visitas Contador Grátis

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O encontro com o Pai: O valor de uma lágrima


06/12/2011
Mais uma semana iniciava-se com Bryan em sua faculdade. Amigos da sua infância e irmãos, tudo isso, se tornavam a principal mão amiga nas  consequências que a vida lhe trouxera. Aos seus oitos anos de idade, havia perdido o seu pai em um acidente de carro, envolvendo restante dos seus familiares. Por destino da vida, todos se recuperam a perda de seu pai, alguns com pequenas sequelas, porém, reversíveis. Já de Bryan, não tivera a mesma sorte na qual os últimos segundos relembrava a morte do seu querido pai. Os médicos por se tratarem de uma situação delicada, restavam esperança para a mudança do pequeno Bryan. Além dos tratamentos psicológicos e medicinais, o que não lhe faltava era afeto de pessoas a sua volta. Certo dia, sua mãe Sthefanie percebeu que seu comportamento havia sido de mal a pior. Iniciaremos a sua história...
-Filho!Toma o café da manhã! Está à mesa!
-Não quero mamãe! Não quero nada! Quero somente o papai! Papai! Cadê o Papai?
Bryan começara com declínios em sua cabeça decorrentes de gritos e choros constantes. O seu rosto vermelho sinalizava máxima atenção a sua mãe, na qual não podia fazer nada, além de tentar confortá-lo.
Passados alguns anos...
Nos seus 16 anos não havia muitas mudanças, porém, com poucos resultados positivos:
-Se meu pai estivesse aqui; nada disso haveria acontecido comigo. Hoje, no meu aniversario não tenho muito que comemorar apenas lágrimas, de um passado onde jamais voltará. Jamais!
Silêncio. Ouvia-se apenas o silêncio naquele momento...
Em sua fase adulta aos 21 anos, Bryan tentava esconder o seu passado com experiências de "superações" semelhantes ao seu, porém, sua expectativa não era o bastante para fechar as suas “feridas” e traumas. Seus amigos da faculdade, insistentes pela sua vida, tentava abrir um sorriso em seus lábios. Era inútil, pois, a infelicidade sempre batia em primeiro lugar. Mas... Não para Deus!
Adormecido em SEUS braços ele sonhava...
(Deus) - Bryan venha para os meus braços, pois estou aqui à procura do meu filho amado!
(Bryan) - Onde? Onde pai? Onde estás?
(Deus) - Estou aqui filho! Ao seu lado! Deixe-me abrir os seus olhos, pois tu és o meu filho amado a quem tanto me alegro!
(Bryan) - Não sei quem tu és, procuro pelo meu pai a quem me amaste!
(Deus)- Sim Sou Eu! O seu verdadeiro Pai Celestial.
(Bryan)- Quem és??
“Deus disse: - EU SOU QUEM SOU” (Êxodo 3 :14a NTLH)
“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida” (João 14:6a)
Bryan estava procurando por um pai ausente, mas a sua real grandeza foi seu Pai Celestial. Por muitas vezes em nossas vidas não encontramos o verdadeiro Pai que tanto procuramos, e por muitas vezes não encontramos. Você pode ter uma historia semelhante como está, ou não ter tido um pai como deveria, somente ausente, mas lembre de uma coisa: Existe um Pai Celestial sempre presente, que pode mudar a sua história, e enxugar todas as suas lágrimas, se você deixar: “Felizes as pessoas que choram, pois Deus as consolará.” (Mateus 5:4 NTLH).
Veja o vídeo abaixo. Medite: 




Nenhum comentário:

Postar um comentário